22.5.09

Tatuagem. Tabu.










Encontrei este interessante estudo argumentando sobre o uso de tatuagens, piercings e afins.
Tirem suas conclusões.

"
Basicamente uma cultura é formada por três elementos: cosmovisão (a maneira como um povo vê o mundo), sistema de valores (o que é importante para aquele povo) e normas de conduta (o modo como um povo se comporta, e isso dizem respeito tanto à vestimenta, como ao modo de se relacionar com os outros, etc.)...

Continuar...


21.5.09

Eu amo Jesus. O que me deixa maluco são seus seguidores.

Para ser sincero, não gosto de muitos cristãos. Note bem, eu não disse “alguns” cristãos; eu disse “muitos”. Não gosto deles — não gosto mesmo, nem um pouquinho. Por várias vezes, prefiro andar com gente doida, profana, incrédula e perdida do que com aqueles que se dizem cristãos, mas, na verdade, são fariseus de mente limitada e metidos a críticos.

Tenho um amigo que é pastor de uma grande igreja. Certa vez, durante uma entrevista, ele disse ao repórter que orava seis horas por dia. O jornalista, muito impressionado, perguntou por que ele orava tanto tempo. O pastor respondeu, com toda franqueza: “Minha igreja é muito grande, e odeio muitas pessoas que fazem parte de-la. Preciso orar seis horas por dia para que Deus me ajude a amá-las”.

Gostaria de amar todos os cristãos, mas não consigo. E vou enumerar algumas razões pelas quais isso acontece.

Não gosto de muitos cristãos pela capacidade que possuem de ser terrivelmente críticos. Eles assumem aquela pose do tipo sou-mais-santo-que-você e se consideram melhores do que todo mundo. Brigam e discutem pelos motivos mais ridículos.

• “Você está lendo a versão errada da Bíblia.”

• “O estilo de louvor de sua igreja é sem graça.”

• “O ensino sobre o Antigo Testamento é insuficiente.”

• “Por que não prega mais sermões expositivos?”

• “Sua igreja deveria realizar mais trabalhos evangelísticos.”

• “Você é por demais evangelista, devia se preocupar mais com o discipulado.”

Esses especialistas em igreja costumam ser os mesmos que não sabem dizer o nome do vizinho não-cristão. Aaaarghhh! Fico doen-te com esse tipo de gente. E quando o tema da conversa ultrapassa as questões da igreja, a coisa é ainda pior:

• “Evangélicos só devem assistir a filmes cristãos, que não são violentos.” (Adorei ver a cara dessas pessoas quando A paixão de Cristo, de Mel Gibson, foi lançado.)

• “Quem ouve música do mundo vai para o inferno.”

• “Cristão não faz tatuagem.”

• “Os Teletubbies são coisa do Diabo.”

• “Cristão de verdade não vai à Disney.”

Não consigo imaginar Jesus escrevendo frases como essas no chão.

Outro tipo que faz meu estômago revirar é aquele pregador fu-rioso: “Se você não se converter, vai queimar no inferno, pecador!”. Por experiência, posso dizer que os pregadores nervosinhos em geral pecam tanto quanto (ou mais do que) as pessoas a quem costumam pregar.

Se o que você leu até agora ainda não é suficiente para convencê-lo, ainda há mais: certos cristãos são muito esquisitos. É só dar uma olhada nos programas evangélicos exibidos na televisão. Alguns deles complicam muito o meu trabalho. Em tese, remo no mesmo barco, mas confesso que fico tentado a fazer piada das muitas bobagens que vejo.

Não é de admirar que não-cristãos assistam a esses programas só para rir. Sei que há muitos ministérios cristãos sérios que ocupam espaços na grade de horários da televisão, e dou o maior apoio. Mas, sejamos sinceros, existe muita coisa bastante bizarra para ver.

Se você se sente ofendido com o que acabou de ler, peço que coloque a mão na consciência e seja franco: já reparou no jeito que muitos televangelistas se vestem? Junte-se a isso a maquiagem forte e o cabelo cheio de laquê das mulheres desses pastores-apresentadores. Parece até um cafetão acompanhado de uma perua — é possível até que um cafetão e uma perua de verdade se vistam e se maquiem melhor.

Isso sem falar no grande engodo que é o discurso antibíblico: “Deus quer que seus filhos sejam ricos, por isso posso andar por aí em carros de luxo”. Para completar, eles ainda pregam no melhor estilo vou-pegar-seu-dinheiro, finalizando todas as falas com aquele “amém?” constrangedor. “Jesus ressuscitou dentre os mortos, amém? E ele está pronto para perdoar seus pecados, amém? Clame pelo Senhor agora, amém?”. Isso me embrulha o estômago, amém?

O que é isso?

O pior de tudo, porém, é o potencial de certos evangélicos à hipocrisia mais nojenta. São capazes de dizer uma coisa e fazer outra completamente diferente. Isso não apenas macula o nome de Jesus, como também fornece mais munição para esse mundo incrédulo usar contra o corpo de Cristo. É como o sujeito que procurou certo pastor protestante e perguntou:

— Pastor, será que o senhor faria o funeral de meu cachorro?

— Não fazemos funerais de cachorros — o pastor respondeu.

— Que pena — disse o homem, aparentemente decepcionado, mas rindo por dentro. — Eu estava disposto a fazer uma oferta de 100 mil para a igreja. Pelo jeito, terei de procurar outra.

— Opa, espere um pouquinho — reagiu o pastor. — Por que você não disse antes que seu cachorro era protestante?

Essas são algumas das razões pelas quais não gosto de muitos cristãos. Para falar a verdade, muitos deles também não gostam de mim. Dizem que sou radical demais. Que minha teologia é rasa. Que sou bom mesmo é de marketing. E meu pecado imperdoável: sou pastor de uma “megaigreja” (o que, automaticamente, faz de mim um egocêntrico que só se preocupa com dinheiro).

Agora que meus motivos já estão expostos, podemos começar. Espero que cheguemos aonde Deus deseja: um lugar que, provavelmente, não é o que ocupo agora. De qualquer maneira, sinto-me melhor depois de desabafar. Obrigado pela atenção que me dispensou até agora.

O cristão de quem menos gosto

Se você acha que minha cisma é apenas com evangélicos de outras igrejas, está enganado. Quando olho para minha igreja, encontro muitas pessoas das quais também não gosto. Não tenho o menor interesse em saber o que querem e como vivem. Fico bastante perturbado com isso, doente mesmo.

Há um tipo de cristão que considero o pior de todos, disparado. É o que mais me aborrece. Tira meu sono. Embrulha meu estômago. O cristão que mais detesto… sou eu!

Não estou brincando. Detesto muitas coisas em mim. Detesto ser menos do que aquilo que Cristo deseja. Tenho nojo de mim quando digo coisas que não deveria e que são incoerentes com a Palavra de Deus.
Detesto quando, na condição de líder, tomo decisões que magoam as pessoas. Detesto quando minhas atitudes pecaminosas magoam os seguidores de Cristo e afugentam os não-cristãos. Detesto essas coisas que vejo em mim.


Livro: Confissões de um pastor / Editora: Mundo Cristão
| Vi no : Pavablog

13.5.09

Marcha contra o abuso sexual da criança e do adolescente.


A ONG Makanudos de Javeh (http://www.makanudos.org/), que faz trabalhos com crianças e adolescentes de escolas públicas, está organizando uma Marcha na próxima segunda-feira, dia 18/05. Fiquei muito feliz quando recebi essa informação. Um monte de cristãos andando, cantando, orando e brigando para defender a pureza sexual das nossas crianças.

Há mais ou menos 2 meses tive a oportunidade de assistir uma palestra do Thiago Torres, fundador e líder da ONG, na qual ele dizia que era impossível estar ligado à videira sem dar frutos. Ele também nos incentivava a seguir a grande comissão: Ir por todo o mundo e levar o Evangelho a toda criatura. (Marcos 16:15)

A questão é que muitas vezes falamos muito sobre isso nos cultos, mas não levamos em prática. A igreja quase sempre é a última a agir diante dos problemas da sociedade. Temos que mudar essa situação!

Por isso, se você puder dar uma escapadinha do trabalho nessa segunda-feira à tarde, não deixe de participar. Sinto que está surgindo um movimento de transformação em nosso meio. Parece que, finalmente, os cristãos do nosso país estão acordando para a necessidade de orar e agir por uma sociedade que faça a vontade de Deus.

7.5.09

Para quem está habituado aos apelos sexistas do nosso tempo, é difícil compreender as razões porque esperamos pelo casamento. Não é algo que faça parte da realidade vivida pelos jovens de hoje. Quando falamos sobre esta decisão com nossos colegas de classe ou de trabalho, a reação é no mínimo de estranheza.

Porém entendo que esperar, além de ser um ato de obediência é também uma escolha. Aparentemente pode não parecer muito confortável, entretanto as conseqüências são eternas.

Pensando nisso, seguem 12 simples razões para o motivo de espera.

01. Porque eu quero, e quero muito.
Quem disse que é fácil passar pelas tentações? Porém tenho plena consciência das minhas escolhas e faço vivência delas, assim como de suas consequências. Por isso EU QUERO e escolho esperar até o casamento.

"Foge também das paixões da mocidade; e segue a justiça, a fé, o amor, e a paz... (2Tm 2:22)

02. Para deixar de ser o centro da própria vida
Deixar Deus dominar minha vida, como o dono de tudo que tenho e sou. “Também o coração dos homens está cheio de maldade, nele há desvarios enquanto vivem.” (Eclesiastes 9:3)

03. Não desonrar a Deus
Imagino o profundo arrependimento de saber que desonrei meu Deus e a outra pessoa… sabendo que cedi à tentação da carne e que banalizei uma coisa tão perfeita que Deus fez pra mim. Tomo as palavras de José ao ser tentado:
“Como poderia eu cometer uma tamanha maldade e pecar contra Deus?”

04. Ser e fazer a diferença nesta sociedade que prega sexo como profano e momentâneo.
Fazemos parte de uma geração descomprometida. Tornou-se comum obter benefícios de forma imediata e desprezar as responsabilidades. Porém a orientação bíblica é que
“...vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo. “ (FL. 2:15)

05. Para oferecer ao meu esposo (a) uma das maiores demonstrações de amor
Viver a imensa alegria do sexo e poder dividir isso com quem vou passar o resto da minha vida
A Bíblia não fala em tornar-se UM a toa.
“Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne.” (Gn 2:24) Tem coisa melhor do que ser UMA SÓ CARNE com a pessoa que você passará o resto dos seus dias? "O casamento deve ser honrado por todos; o leito conjugal, conservado puro..." Hb. 13.4

06. Para rever as prioridades
A prioridade é estudar, viajar? Se minha prioridade não é casar, porque ter uma vida marital com meu namorado? "Para tudo há uma ocasião certa. Há um tempo certo para cada propósito debaixo do céu." Ec. 3.1

07. Para tomar mais cuidado comigo mesmo
Gasta-se milhões em conscientização das doenças sexualmente transmissíveis e incentivando o uso da camisinha. Ao mesmo tempo, cresce o número de jovens infectados com DSTs ou enfrentando uma gravidez inesperada. Portanto, o melhor método de prevenção é a ausência do sexo. Isso é lógico! Se eu não tenho relações com pessoas diversas, não corro o risco de pegar doença sexualmente transmissível. Esperar ainda é o melhor método! "
A vontade de Deus é que vocês sejam santificados: abstenham-se da imoralidade sexual. Cada um saiba controlar o seu próprio corpo de maneira santa e honrosa, não dominado pela paixão de desejos desenfreados, como os pagãos que desconhecem a Deus. O Senhor Deus castigará todas essas práticas. Porque Deus não nos chamou para a impureza, mas para a santidade." I Ts 4.3-5;7

08. Filhos no tempo certo
Ter filhos no século XXI não é fácil, ainda mais um filho fora do casamento, onde estarei despreparada, trancar a faculdade, sair do emprego, etc.

09. Para respeitar e obedecer meus pais
Não me sentiria confortável contando que fui no motel com meu namorado diante do meu pai. Não me sentiria à vontade sabendo que meus pais estão preocupados que eu possa engravidar ou pegar uma doença.
Dentro do casamento as coisas mudam.

10. Para aprender que as coisas são como são, nem tudo é perfeito. E tudo bem!
As meninas foram criadas com a promessa que o príncipe encantado chegaria com o cavalo branco resgatando das aflições existentes. Bem, sabemos que a realidade é bem diferente. Enfrentar a realidade como é, sem buscar satisfação de uma ausência de carinho em vários relacionamentos, além de sábio, é prudente.

11. Para passar pela experiência da Lua-de-mel
Lua de mel deixou de ser “o grande momento” da vida do casal, passou ser um tempo de viajem e não de descoberta no mundo moderno. Eu optando por ESPERAR, a lua de mel torna a ter o verdadeiro sentido, a emoção e a descoberta. Eu quero muito isso!

12. Para testemunhar
Viver Jesus no dia de hoje é fundamental para uma vida cristã saudável pautada na Bíblia. Ter um casamento abençoado testemunhando a santidade durante o namoro para os filhos é o verdadeiro exemplo vivido.



Thaís Chioqueti
www.sexxxchurch.com

4.5.09

IIGREJA MÓVEL????

Já pensou estar andando pela rua e encontrar uma tenda onde as pessoas podem descançar, ler, aprender... e ouvir falar de Jesus.
Ok... eu sei que igreja não é um templo ou um local!!!! Porém ofereceria a oportunidade para muitos entrarem, mesmo pela curiosidade e se tornarem IGREJA!!!
Essa foto foi tirada no Pixel Show, não é uma igreja!!! mas fica aí a dica!!!!!
AMOR X PAIXÃO

Por vários acontecimentos, estive pensando sobre o amor. Eu já o confundi várias vezes, já o inventei, já menti. É tão falado, porém pouco sentido. Há também uma grande confusão em amar e estar apaixonado.

Tentar defini-los requer muuuita coragem. Acredito eu, que, amar alguém é ver a pessoa como realmente ela é, apreciá-la pelo ser que é, com suas falhas, com suas banalidades. O problema é que criamos tantas projeções em cima do futuro e pessoas que ficamos cegos, raramente podemos ver o outro claramente, em toda sua profundidade, nobreza, falhas e defeitos. Gosto de poemas apaixonados, os poetas definem muito a paixão. Porém a paixão é muito diferente do que amor. São sensações explosivas e inflamadas.
Quando estamos apaixonados olhamos "através de" e não a pessoa, nos apaixonamos por um ideal ou ainda por uma emoção.
A pior coisa em estar apaixonado é que não dura, normalmente colocamos a pessoa fora do nosso alcance, é por isso que o estar apaixonado dói tanto. Há também o sentimento de inferioridade que traz a solidão.

Diferente da paixão, amor nada tem de ilusório, é ver o indivíduo, ve-lo não através de um determinado papel ou imagem que tenhamos planejado para ele.

Como ele é confundido, na maioria das vezes, procuro associá-lo a durabilidade e experiências. Amor é dar valor a individualidade dentro do contexto do mundo comum. É estar junto com o indivíduo, criar laços, somar-se. É durável, permanente e real. Qualquer pessoa que não tem expectativa realista em relação ao amor e uma vida a dois corre o risco de se confundir e pode acabar tendo experiências frustradas, noites de insônia, ansiedades, incertezas e raiva.
Te convido a agir moderadamente enquanto estiver apaixonado, não tomar decisões precipitadas, usar mais a cabeça do que os hormonios. Cuide de seu coração porque ele é precioso. Afaste-se de quem tenta te controlar, tire lições das más experiências e aproveite o máximo quando estiver amando. Pois é através do amor que conseguimos enfrentar, conquistar, prosperar, gerar, ajudar e se amar!!!!!